Vá pra festa no seu estilo

Roupas para casamento! Este é um dos principais temas de busca que chegam ao blog.

Acho ótimo, é sinal de que as mulheres estão procurando uma nova forma de se apresentarem em ocasiões sociais, que seja (talvez) mais elas mesmas e menos regras da sociedade.

A regra que, sim, é preciso ser levada em conta é a de que um casamento é um momento importante para os noivos e suas famílias e os convidados demonstram valorizá-lo através da sua própria imagem (já que aparecer linda numa festa assim demanda tempo e até dinheiro, e a gente gasta tudo isso pra mostrar que está feliz com os noivos). E pra escolher o look as orientações são simples: nunca usar vestido branco (a não ser a pedido da noiva) e considerar o horário e local da cerimônia/festa:

Dia (normalmente são cerimônias mais românticas e em locais abertos) – menos brilho, cores mais claras, modelagens um pouco mais simples, penteados e make mais leve

Noite (normalmente são festonas que praticamente viram uma balada após o jantar) – Pode “aparecer mais” – brilho, penteados elaborados, make mais forte, cauda (comprimentos curtos são permitidos, desde que mais elaborados)

Praia / campo – permite saltos mais baixos e/ou mais grossos, comprimentos mais curtos, menos brilho

Mas a grande questão é que existe uma incoerência gigantesca entre o que as pessoas vestem no seu dia a dia e o que vestem nas festas. Lógico que ninguém vai trabalhar com um vestido de cauda ou com um penteado arquitetônico, mas casamentos viraram praticamente festas à fantasia (pense naquela sua amiga que vive de tênis e sem um pingo de maquiagem, e aparece na festa cheia de brilho e salto fino).

Muitas mulheres aproveitam tais ocasiões pra usarem todos os artifícios possíveis pra se sentirem lindas, fora do normal – e ESSE é o ponto em que quero chegar!

A gente tem oportunidade de se sentir linda TODOS OS DIAS. Se arrumar um pouquinho mais, substituir o tênis por uma sapatilha, o corte de cabelo sem graça por um cheio de atitude, a blusinha básica por um top de modelagem diferente.

A vida é cheia de ocasiões a serem comemoradas, mas muitas mulheres não “vão esse pouquinho além” por medo de serem julgadas, reparadas, comentadas (o que exatamente elas querem em dias de festona – mas nesse dia é como se todo mundo já esperasse que elas apareçam diferentes, o que teoricamente as deixa mais confortáveis).

Quando a gente descobre o nosso estilo, o que tem a ver com as nossas prioridades, nossa rotina, nossos gostos pessoais, torna-se muito mais fácil sair do lugar comum no dia a dia E em ocasiões especiais.
Vestidos cheios de bordados, modelagens justas, superdecotes, maquiagem carregada… talvez tudo isso não tenha nada a ver com quem você é de verdade, então porque ir comemorar o casamento da sua amiga vestida assim?

Hoje a moda oferece tantas opções que, com um pouquinho de autoconhecimento e criatividade, é possível manter o SEU estilo em todos os momentos e ainda assim estar adequada para cada ocasião.

Olha só, um manual beeem resumido e fácil pra colocar cada estilo pra desfilar (na imagens, considerando um casamento a noite):

A Clássica

Caimento impecável, cores mais sóbrias, modelagem estruturada, tudo “certinho”

A Criativa

Tecidos e detalhes inusitados, modelagens divertidas, mix de informações, movimento

A Esportiva

Estampas abstratas, conforto, poucas e boas cores, bolso, modelagens descomplicadas

Romântica

Leveza, cores claras e adocicadas, tecidos fluidos, estampas miudas, cintura marcada

Sexy

Cores fortes, decotes, pele (ou silhueta) à mostra, brilho

Dramática

Cores e modelagens impactantes, linhas retas, estampas gráficas, contrastes

 

Pense um pouquinho no que tem mais a ver com você e divirta-se na próxima festa!

 

Leia mais:
A lingerie certa pra cada roupa
Vestir-se bem é sinal de boas maneiras
Grávida e elegante
O tamanho da bolsa
Com que roupa eu vou num casamento de dia?
Tem que ter caimento
Roupa de festa boho-chic

0
TAGS , , , , , , , ,

O efeito das linhas horizontais no seu corpo

Se você já sabe qual é o seu biotipo (se não sabe leia esse post!), é hora de começar a escolher roupa pensando no efeito que ela tem na silhueta.

As linhas que surgem no look são elementos dos mais importantes e influenciadores quando queremos nos vestir de forma a valorizar o corpo que temos.

Existem linhas verticais, diagonais (ambas normalmente alongadoras e emagracedoras) e linhas horizontais.

Se você foge das peças com listras horizontais “por que elas engordam”, então você vai ter uma grande descoberta hoje.

As linhas horizontais realmente tem um efeito “alargador” da parte do corpo onde elas estão posicionadas. Partindo deste princípio vamos usá-las para criar proporção ideal e compensar ombros ou quadris muito largos para o resto da silhueta.

É aquela história:

Se você tem ombrão, use estas linhas no quadril, pra criar um quadrilzão à altura, e garantir o efeito ampulheta.

Se você tem quadrilzão, é o inverso. Busque peças que criem linhas horizontais mais próximas dos ombros.

E é aí que é preciso exercitar bem o olhar pra encontrar as linhas horizontais mais fortes da roupa. O que cria essas linhas maaaaais do que tudo é o contraste de cor – observe a linha vermelha nas imagens abaixo:

Então não são só as listras que podem ter um efeito indesejado, mas qualquer linha horizontal quando usada sobre a parte que você mais quer esconder.

E eu, como boa advogada das listras, quero mostrar como você pode usar qualquer linha da roupa ao seu favor.

*Quadrilzão x Ombrinho:

Pra quem tem o biotipo triângulo, importa colocar linhas horizontais na parte de cima do corpo (e o mínimo de informação possível na parte de baixo):

-decotes tomara que caia, canoa, ombro a ombro;

-detalhes em outra cor;

-listras;

-colares de ombro;

-cabelos com volume, cortados da altura do peito pra cima (!!!);

-cintos na cintura (evite cintos muito chamativos no quadril);

-barra de blusas terminando do ossinho do quadril pra cima.

*Ombrão x Quadrilzinho

Pra quem é do biotipo triângulo invertido, as linhas horizontais irão favorecer quando estiverem na parte de baixo do corpo (evite os itens citados acima se você não conseguir perceber como compensá-los):

-minissaias;

-jeans rasgado na altura da coxa;

-saias em A;

-barra de blusas terminando na parte mais larga do quadril;

-cintão no quadril;

– cabelo liso e comprido (não é uma regra, mas pode influenciar).

Além disso essas linhas podem dar impressão de que somos mais altas ou mais baixas. De forma geral nosso corpo é dividido igualmente entre tronco e pernas. E eu observei que quando repetimos essa proporção na roupa, tudo parece mais harmônico e agradável (mesmo que se divida em mais partes, desde que iguais).

Por outro lado, quando criamos desproporção entre as partes, isso gera uma estranheza, por que foge da harmonia que a gente “espera” encontrar num corpo – e nessa tentativa de compreensão do cérebro, a impressão que temos é a de que algo é mais curto naquele todo.

*Exemplo de linhas dividindo a silhueta entre partes iguais:


{Parece que tudo está no lugar, não é?}

Exemplo de linhas dividindo o corpo em partes desiguais:


{Também parou pra tentar descobrir o que está errado, ou só eu?}

E quando a fronteira entre tronco e pernas é ocupada por uma peça curta, que quase não aparece, não a consideramos – como shorts ou mini saia. Por que vemos tronco e pernas suficientes pra permanecerem proporcionais:

Isso é bem genérico, não podemos dizer o que é certo ou errado, mas serve pra passar a observar mais o espelho e escolher o look de forma consciente. Por que a gente já sabe, na moda tudo é possível. Aqui estamos apenas falando de proporção. Estilo é outra coisa!

;)

Leia mais:
O formato do seu corpo – biotipos
Qual é o seu conceito de beleza?
O tamanho da bolsa
Defeito: tenha o seu!
A polêmica da bota de cano alto

0
TAGS , , ,

A Mulher Graciosa – por Helena Tannure

Graciosa: agradável, educada, gentil, serena, elegante, delicada no trato, amável, afável, agradecida, que desfruta do favor de alguém.

Imagino que todas as mulheres gostariam de ser consideradas “graciosas”. Essa mulher fina, descrita na definição acima, tem alguns valores que se perderam com a evolução da sociedade.

Verdades que libertam a quem se dispõe a conhecê-las…. algumas difíceis de serem engolidas nos dias de hoje (quando somos influenciadas pela mídia, pelos interesses políticos, pela maioria, pelas celebridades, por tudo, menos por nossos próprios princípios), mas ainda assim são verdades.

0
TAGS , , ,

CONTATO



liliane@lilianelau.com.br

(41) 9111.0806